sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Amor: Eu e o Outro

João 15.12 é um paradigma para a forma como devemos nos relacionar com o amor e como este é expresso para com o próximo:

Cristo doa-se pelos seus amigos em amor e os estimula a fazer o mesmo; inverte-se assim o quadro anterior de amor com base no ego em si ("amar os outros como a si mesmo") e acentua-se a necessidade de tomarmos as qualidades de outro, que nos é singular e desafiador ("amar como Cristo nos amou").

Assim, ou nossa expressão de amor, por nós e pelo próximo, é mediada pelo Cristo que se entregou por amor, ou seremos os mais desesperados e inconsequentes de todos, nos relacionamentos que travarmos, uma vez que nossa base será apenas aquilo que nos é próprio, rebelião contra todas as bases do amor desejado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Reservo-me o direito de não publicar críticas negativas de "anônimos" (Este espaço visa à edificação e, em muitos casos, à instrução. Somente publicarei os comentários que atendam tais propósitos); Discordar não é problema, contudo, faça-o com educação (Não tolerarei palavreado torpe, ofensivo e inconveniente); Atenha-se ao conteúdo do texto (aqui não há espaço para personalismos ou críticas ad hominem)