quinta-feira, 24 de setembro de 2015

CRISTIANISMO SUPRA IDEOLÓGICO ~~@ACCosta




 Não curto comemorar meu aniversário. Não é superstição ou conceito filosófico. Apenas não vejo sentido.

Contudo, este ano faço questão: meu pastor, sim(congrego na IPBarra!), está (re)lançando seu novo livro, Convulsão Protestante, na Catedral Metodista do Rio

Não sei como me posicionar bem quanto a TMI e a TR, mas penso que um "pouco" de leitura nunca é de mais para o processo de apreensão de uma cosmovisão centrada em Cristo.

Não consegui entender algumas das colocações que o Antônio apresenta. Creio que seja pela imaturidade no assunto em questão. Mas compartilho um texto, de seu perfil pessoal no facebook, para pensarmos mais antes do encontro no dia 07.10, sim estou te convidando para estar comigo em mais este evento e trocarmos umas ideias pessoalmente sobre as impressões deixadas, pelo escrito abaixo e pelo livro:  




"Estou lendo esses dois livros, que falam sobre o marxismo. É tão intelectualmente desonesto defendermos uma ideologia que não conhecemos, como atacarmos uma ideologia que nunca examinamos. Estudar é fundamental. Livro na mão e pé na lama da favela produzem os melhores intelectuais. E a melhor teologia!

Falava outro dia no Congresso da Juventude Batista Brasileira, realizado em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, quando um grupo de jovens, ao término da minha mensagem, me procurou. Conversamos longo tempo. Gostei demais deles. Todos demonstravam grande inquietação quanto a serem considerados marxistas pelo simples fato de defenderem certas ideias, que na verdade, em seu modo de ver, representam apenas o que o cristianismo proclama. Eles me pareceram lidar com uma pergunta importante, que poucos ousaram responder: quanto do marxismo uma pessoa precisa acreditar para ser considerada marxista? Lembro-me de Dom Hélder Câmara: "Quando dou comida ao pobre dizem que sou santo, quando pergunto por que algumas pessoas são pobres dizem que sou comunista". 

Outro tipo de injustiça também pode ser praticada. Considerar necessariamente inimigo do pobre quem rejeita o marxismo. Há muitos que almejam a economia de mercado, com todo seu estímulo à produção de riqueza e competição criativa, regulada pelos ideais de justiça do cristianismo. Eles não creem na revolução do proletariado, não estimulam a luta de classe, e, contudo, rejeitam a exploração do pobre, o lucro como a medida de todas as coisas e a ganância que esgota os recursos naturais do planeta. 

Como o cristianismo não cabe nem nas ideologias de direita, nem nas ideologias de esquerda, gostaria de dizer aos que se sentem injustiçados, vítimas dos ataques mais ácidos de ambos os lados, que não ser compreendido é da natureza da verdadeira sujeição a Cristo. Faz parte da vida cristã ser objeto de contradição. O dia em que o mundo nos compreender há muito teremos deixado de viver como discípulos de Cristo. 

O importante, seja você de direita, seja você de esquerda, é ser encontrado do lado do pobre, perto de quem o Senhor Jesus sempre esteve. E quando uma chacina como a de Osasco -que interrompeu a vida de 19 pessoas no dia 13 de agosto deste ano-, acontecer, jamais deixar de protestar. Porque você dificilmente será levado a sério se a defesa mais veemente das suas ideias não vier acompanhada da prática concreta da justiça e da misericórdia. 

A ideologia sem obras é morta."




sexta-feira, 4 de setembro de 2015

7ª JORNADA SOBRE NEUROEDUCAÇÃO: Colégio Pedro II - Campo de São Cristóvão



**CARGA HORÁRIA DO CERTIFICADO: 14 horas

 

**PÚBLICO ALVO:

Professores, Mediadores (Estagiários, Monitores e/ou Facilitadores), Pedagogos, Psicólogos, Terapeuta Ocupacional, Psicopedagogos, Fonoaudiólogos, Estudantes de Graduação e/ou Pós, Familiares e demais interessados no assunto.

 

**PALESTRANTES:

 

[sexta - 27 de novembro de 2015]

Sob o comando do cérebro

Marta Relvas - Bióloga, Neurobióloga, Psicopedagoga, Psicanalista, Membro da Sociedade Brasileira de Neurociência e Comportamento, Pós graduada em Anatomia Humana, Especialista em Fisiologia Humana, Bioética Aplicada e Didática do Ensino Superior, atua ainda como Pesquisadora na área de Biologia Cognitiva e Aprendizagem. Mentora do Curso de Pós Graduação de Neurociência Pedagógica da Universidade Cândido Mendes - Faculdade Integrada AVM, ministrando as disciplinas de Neurociência da Anatomia e Fisiologia Cognitiva e Emocional. Leciona no Curso de Pedagogia EAD - Faculdade Integrada AVM-UCAM e da Universidade da Inteligência e nas disciplinas de Bioética, Fisiologia Humana e Biologia Celular da Universidade Estácio de Sá, nos cursos de Biomedicina e Pedagogia. Autora dos Livros: "Fundamentos Biológicos da Educação – desenvolvendo inteligência e afetividade na aprendizagem", "Neurociência e os Transtornos da Aprendizagem", "Neurociência e Educação: Gêneros e potencialidades na sala de aula" "Neurociência na Prática Pedagógica",  e Co-autora dos livros: Neuropsicologia e Aprendizagem para Viver Melhor - Editora Científica; Neuropsiquiatria Infância e Adolescência - Abordagem Multidisciplinar de problemas na clínica, na família e na escola. Org. Eduardo L. Ribeiro, editora WAK; Como Aplicar a Psicomotricidade. Org. Fátima Alves, editora WAK, Mídia em DVD – Neurociência e Aprendizagem Escolar – editora WAK; Organização e autora do livro "Que cérebro é esse que chegou à escola? Bases neurocientíficas da aprendizagem", editora WAK.

 

Desatentos e Hiperativos

Gustavo Teixeira - Mestre em Educação pela Framingham State University; Professor Visitante do Department of Special Education - Bridgewater State University; Pós-graduado em Saúde Mental e Desenvolvimento Infantil (SCMRJ); Pós-graduado em Psiquiatria (UFRJ); Pós-graduado em Dependência Química (UNIFESP); Curso de Extensão em Psicofarmacologia da Infância e Adolescência pela Harvard Medical School; Autor dos livros "Manual dos Transtornos Escolares"; "Desatentos e Hiperativos"; "Manual Antibullying"; "O Reizinho da Casa" e "Transtornos Comportamentais na Infância e Adolescência“; Psiquiatra CRM-RJ 52 73634-1.


[sábado - 28 de novembro de 2015]

A neuropsicologia do TDAH: como integrar os resultados ao relato parental e escolares

Gabriel Coutinho - Psicólogo formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2005), título de Especialista em Neuropsicologia pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP) e em Neurociências pela Universidade Católica de Petrópolis (UCP). Mestrado em Saúde Mental pelo Instituto de Psiquiatria da UFRJ - IPUB. Atualmente é psicólogo do Centro de Neuropsicologia Aplicada (CNA) e pesquisador do Instituto D'Or de Pesquisa e Ensino (IDOR). Doutorando do Programa de Ciências Morfológicas (PCM) da UFRJ e membro da Diretoria da Sociedade Brasileira de Neuropsicologia (SBNp). 

 

Neurônios-Espelho e Autismo

Gabriela Parpinelli - Psicóloga Analítico Comportamental e Supervisora Clínica; Especialista em Análise do Comportamento - Núcleo Paradigma/SP; Especialista em Neurociências aplicadas a Aprendizagem - IPUB/UFRJ. Supervisora Clínica ABA do Curso de Aprimoramento da Creative Ideias. Tem experiência em intervenção ABA com indivíduos diagnosticado com autismo, e em atendimento psicoterapêutico a adolescentes e crianças. CRP: 05-38557

 

Neuropsicopedagogia - O que é?

Fabrício Cardoso - Formado em  Educação Física  pela  Universidade Castelo Branco  (2002); Mestre em Ciencia da Motricidade Humana  pela  Universidade Castelo Branco  (2007); Doutorando em Ciências Biológicas (Biofísica) UFRJ. Pesquisador do Centro de Estudos em Neurociências e Educação (Neuroeduc/UFRJ); Grupo de Pesquisa em Sociedade, Saúde e Educação da Faculdade São Fidélis /CENSUPEG; Membro do Conselho Técnico Profissional da Sociedade Brasileira de Neuropsicopedagogia (SBNPp). Neuroeducador, atua na investigação neuromotora e neuropedagógica de pacientes e na elaboração de programas de estimulação cortical. 

 

Desenvolvimento Linguístico e Cognitivo no Distúrbio Específico de Linguagem (DEL)

Gladis Santos - Supervisora e pesquisadora do Ambulatório de Transtornos na Aquisição da Linguagem Oral – Instituto de Neurologia Deolindo Couto – INDC/UFRJ; Fonoaudiologia pelo Instituto Brasileiro de Medicina de Reabilitação; Pós-graduada em psicomotricidade; Mestre em Tecnologia Educacional nas Ciências da Saúde pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2006). Atualmente é professora assistente da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Fonoaudiologia, com ênfase em Linguagem, fundamentando abordagem clínica pela neuropsicologia e psicomotricidade, atuando principalmente nos seguintes temas: transtornos da linguagem oral e escrita, metacognição, reorganização cognitiva / psicomotora (atenção, percepção, memória, fala, pensamento e movimento).

 

Psicomotricidade e Autismo

Rita Thompson - Mestra em Educação; Graduada em Pedagogia e em Psicomotricidade; Pós-graduada em Psicomotricidade GAE-ISRP Paris e em Psicopedagogia; Docente na Universidade Estácio de Sá; Supervisora do atendimento à crianças com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade; com Autismo e Retardo Mental no Setor de Neuropsiquiatria Infanto-Juvenil na Santa Casa de Misericórdia – RJ; Membro da Sociedade Brasileira de Psicomotricidade - SBP; Membro da diretoria da ABENEPI – Associação de Neurologia e Psiquiatria Infantil.

LOCAL E INVESTIMENTO: VEJA AQUI





sexta-feira, 31 de julho de 2015

Recomendação de leitura: Vulnerável aos Vulneráveis, por IGOR MIGUEL


Tenho muita, mas muita dificuldade com a retórica de messianização do pobre (muito presente em determinadas tendências ideológicas). [...] Porém evangélicos precisam dar um passo mais consistente na direção dos mais pobres e vulneráveis. Nosso país é marcado por profundas desigualdades, violência, fracasso institucional, impunidade e empobrecimento moral. Ao meu ver, é simplesmente inquietante que cristãos fiquem indiferentes ao sofrimento alheio. [Leia +]

http://pensarigor.blogspot.com.br/2015/07/vulneravel-aos-vulneraveis.html

terça-feira, 21 de julho de 2015

SEMESTRE DE CONSTRUÇÃO E SÍNTESES (JUL A DEZ 2015)

 
Estudando as doutrinas da Bíblia para o ingresso no Seminário Presbiteriano do Méier-RJ ou Seminário Martin Bucer, pretendo pensar e escrever sobre:


1. A AUTORIDADE FINAL EM QUESTÕES DE FÉ (Autoridade, Revelação e Escrituras);

2. A DOUTRINA DE DEUS (O Ser de Deus, Trindade, Atributos ou Perfeições, Obra da Criação e da Providência);

3. A HUMANIDADE E O PECADO (Essência da Natureza; O Homem no Pecado, na Graça e na Glória);

4. A PESSOA E A OBRA DE CRISTO (Humanidade e Divindade de Jesus Cristo; Expiação: ensinamento bíblico e perspectivas históricas);

5. A PESSOA E A OBRA DO ESPÍRITO SANTO (A Pessoa; A Promessa; Nos Primórdios Cristãos; No Crescimento Cristão; Hoje);

6. A IGREJA (Identidade, Vida, Crescimento; A Igreja na História);

7. AS ÚLTIMAS COISAS (Reino de Deus, Segunda Advento de Cristo, Estado Final; No Pensamento Cristão).


Acompanhe e Comente... Ajude este pequeno Cristão(!!!).
 
 

sábado, 2 de maio de 2015

Carta a um Jovem com Problemas Sexuais

Entra a noite e nosso passageiro noturno ataca os pensamentos assolando a pouca paz que a escuridão nos traz. É com certa relutância que permitimos nossos pensamentos se ficharem  em pontos nebulosos e distantes de nossa convivência. Em momentos assim, a tela agiganta, os dedos são rápidos na pesquisa e o mouse pesa na troca das imagens disponíveis(!).

Nada preenche aquilo que pesquisamos. Mas em momentos assim, também, Deus nos brinda com análises precisas do que estamos passando e sofrendo(!!). Assim, apresento algo que já deve ter passado pelo estudo de cada um de vocês, sendo do sexo masculino, e pela curiosidade geral, sendo mulheres:

O que segue é um e-mail que recebi de um irmão que estava com problemas sexuais em seu namoro. Logo abaixo vai minha resposta. O texto foi editado para melhor se adequar, retirando certas pessoalidades. Espero que possa ser de utilidade para alguém.

Como eu já te falei, eu tenho 20 anos e faço faculdade. Acontece que há quase dois anos (eu tinha 19), comecei a namorar uma irmã da igreja. Ela é uma moça de Deus, comprometida com o Reino, ama o Senhor e sempre teve um desejo de dedicar-se à obra, como eu – inclusive ela sonha em fazer missões. Todavia, nos últimos dois ou três meses temos sido terrivelmente tentados na área sexual. Alguns dias atrás, fomos parar na porta de um motel, mas acabamos não entrando. E, sinceramente, o motivo de não termos entrado não foi temor ao Senhor (naquele momento eu só queria satisfazer os desejos da minha carne) – foi simplesmente medo, insegurança, afinal nós dois somos virgens. O fato é que, mesmo não tendo consumado a relação sexual, nós fomos muito além do aceitável e estamos ambos arrasados. O pastor de nossa igreja está nos dando todo o apoio, nos disciplinando em amor, nos oferecendo consolo, mas eu estou à beira de desistir. Não é a primeira nem a segunda vez que cedemos às tentações dessa maneira. Eu me sinto completamente enojado em relação à minha própria vida, em relação ao meu pecado, mas, ao mesmo tempo, não sinto forças para continuar combatendo-o. Estou renunciando a todos os compromissos que tinha com a obra em nossa igreja, pois me sinto desqualificado, reprovado para o ministério. O trabalho ministerial é muito abençoado, não posso servir vivendo da forma como estou. Peço oração e ajuda. Eu não sei o que está acontecendo comigo, não sei como tenho retrocedido tanto depois de experimentar tantas coisas maravilhosas da parte do Senhor. Tenho questionado a minha própria salvação, pois como um nascido de novo pode viver de forma tão podre? E esse questionamento está me consumindo. Gostaria de poder me casar, como Paulo ordena àqueles que não podem se conter, e estou me organizando para isso. Mas sou apenas estagiário, e minha família não é cristã e não apoia a ideia. Ou seja, não sei mesmo o que fazer. Nesse momento, tudo o que eu quero é força para não desistir.

RESPOSTA

Meu irmão,
Seu desabafo muito me comove. Pedro foi mesmo sábio quando, ao aconselhar os jovens, declarou: “Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo” (II Pe 5.8,9). Eu também sou um jovem (tenho 18 anos), também namoro a mesma garota faz tempo (desde os 15 anos), também somos virgens e também já passamos de muitos limites. Logo, só posso concordar com Pedro: as mesmas aflições se cumprem entre os irmãos de todo o mundo. Nosso adversário ruge ao nosso redor tentando tragar-nos com nossas próprias paixões. Eu passava por problemas muito parecidos com o seu. Hoje, essas lutas são muito mais amenas e raras, mas, antes, a derrota era constante e devastadora. Saiba: eu conheço muito bem o seu problema, já o sofri intensamente e quase todo irmão que tem nossa idade passa ou já passou por problemas no mínimo muito parecidos.

Sabe, eu sou uma criança, assim como você. Um homem, e não um garoto, deveria estar te aconselhando aqui. Fico feliz que seu pastor esteja te dando apoio, consolo e disciplina amorosa. Ame este homem e agarre-se nele o máximo possível. Frequente a casa dele, ore com ele, cresça com ele, amadureça com ele. “O que anda com os sábios ficará sábio, mas o companheiro dos tolos será destruído” (Pv 13:20). Encontre homens que amem a Cristo, amem a Escritura e amem a Santidade. Ande o máximo com eles, pois te ensinarão sobre como ser um homem bíblico. Seu pastor e bons amigos serão peças importantes para te dar força neste momento de luta.

Amigo, primeiramente, não desista. Você não está sozinho em sua luta. É Deus quem opera em nós tanto o querer como o realizar em nossa santificação (Fp 2:12,13). É Ele que nos dá força e nos faz andar de acordo com a Verdade. Clame desesperadamente ao que pode te santificar. Como disse Al Martin, Fé salvadora é o arremesso desesperado de uma alma desesperada nos braços de um Todo-Poderoso Salvador. Arremesse-se a Cristo. Lance-se n’Ele. Você não pode fazer nada só. Você precisa esmurrar seu corpo e fazer dele seu escravo (I Co 9:27), mas você não conseguirá sem jogar-se confiante e desesperado nos braços de Cristo.

Quando minha luta contra esse pecado era mais intensa, eu pude listar uns poucos conselhos bíblicos. Creio que te servirão:

Seja apaixonado por Jesus. Deus não retira de nós as paixões pelo mundo quando clamamos a Ele, Deus nos oferece uma paixão maior. Não deixamos de possuir “paixões da mocidade” (II Tm 2:22) quando cremos em Cristo, mas a paixão por Jesus deve arder tão forte em nós que as outras paixões são ignoradas e mortificadas. Busque Cristo nas Escrituras, veja boas pregações e ore bastante. O Fogo por Deus deve estar aceso no seu coração. Ainda que você esteja fraco, “[Ele] não… apagará o pavio que fumega” (Is 42:3).

Lembre que você é um peregrino. Pedro, em sua primeira carta (2:11), nos diz que devemos abster-nos dos desejos da carne que fazem guerra contra nossa alma. Ele deixa claro que fala isso “como a peregrinos e forasteiros”. Precisamos tomar posse desta consciência de que não pertencemos a essa terra. Não devemos olhar para esse mundo como nosso. O sexo, a masturbação, a pornografia são coisas passageiras e terrenas. Há um prazer e uma alegria muito mais profunda e duradoura nos céus. Olhe para o alto: lá é a sua terra, não aqui. Livre-se de bobagens e futilidades terrenas. Ponha sua mente e seu coração no que vem de Deus.

Guarde seu coração. “Acima de tudo, guarde seu coração, pois dele depende toda a sua vida” (Pv 4:23). Creio que este provérbio já é enfático o suficiente para dispensar qualquer comentário posterior. O pecado começa dentro de nós (Tg 1:14,15) e é no nosso interior que a batalha começa. Guarde-se de amar o pecado. Se você perceber que está sendo arrastado para o erro, clame a Deus ante que seu mau desejo seja manifesto.

Proteja seus olhos. Jó fez um belo pacto consigo mesmo: “Fiz um acordo com os meus olhos de não olhar com cobiça para as moças” (Jó 31:1). Para vencer nosso próprio desejo, precisamos proteger nossos olhos de toda cobiça. Quando começamos a namorar, somos rápidos em nos guardar de cobiçar qualquer moça além de nossa namorada. O problema é que você não é casado, assim, não deveria cobiçar ninguém! Lute para não olhar para ela com desejo. Proteja seus olhos e você estará protegendo seu coração. Se preciso for, converse com sua namorada para que ela vista-se de modo mais comportando quando está com você.

Fuja! Imagine essa cena: “Você é um lutador e seu mestre está falando sobre seus adversários. Ele diz: está vendo aquele homem? Lute contra ele. Está vendo aquele outro? Resista contra ele. Agora, sobre aquele terceiro ali, não chegue nem perto. Fuja dele! Fuja!”. Nesta analogia, vemos uma verdade bíblica muito importante. Em Efésios 6:10-12 somos ordenados a resistir ao diabo. Em Tiago 4:7 somos, também, ensinados a resistir a Satanás. Já em II Timóteo 2:22 somos ordenados a fugir das paixões da mocidade. Sobre este ponto, Paul Washer diz que “isto demonstra que a paixão da sua carne e a sensualidade desenfreada da sua cultura é mais perigosa do que uma batalha face a face com o diabo”. Washer continua:


Eu conheço inúmeros jovens cristãos que demonstraram evidências genuínas de conversão, e ainda assim ao entrar em uma relação com o sexo oposto, eles caíram em imoralidade. Eu sei que eles memorizam as Sagradas Escrituras, oram, e até jejuam para serem puros na sua relação, e mesmo assim eles caíram. Por quê? Porque eles não entenderam que todas as disciplinas espirituais das Sagradas Escrituras não poderiam salvá-los das paixões da juventude. Eles tentavam lutar uma batalha enquanto Deus os ordenou a fugir. Resumindo: Você não pode ficar sozinho em um relacionamento com uma pessoa do sexo oposto durante um período extenso de tempo sem cair. Por isso, vocês nunca devem ficar sozinhos em uma casa, carro, ou qualquer outro lugar onde a luxúria e os desejos podem ser acesos e o fracasso é certo.
Fugir foi a maior ferramenta de santificação de Deus na minha vida. Ficar sem beijar minha namorada, não estar sozinho com ela, praticamente só namorar por telefone e em locais bastantes públicos foram modos que usamos para fugir de nossos desejos. Fuja também. Não ache que você terá forças para resistir. A melhor forma de lutar, neste caso, é fugindo. Funcionou comigo, funcionou com outros cristãos, peço a Deus que funcione com você.

Ocupe-se com o Reino. Temos o péssimo costume de abandonar todas as nossas atividades onde nos congregamos quando estamos caindo constantemente no mesmo pecado. Não faça isso. Continue servindo aos seus irmãos como você servia antes. Se possível, sirva até mais. Isso vai te deixar ocupado e te impedirá de gastar seu tempo com o que é vão. Não desperdice sua juventude, gaste-se na Obra de Deus. Os dias que você tirava para namorar, tire agora para evangelizar junto de sua namorada. Eu sei, será super desgastante e você vai ter a sensação que está se distanciando de quem você ama. Eu senti isso no começo, mas, na verdade, vocês estarão crescendo na graça de Deus e fortalecendo a união de vocês. Procure ministérios de evangelismo, traduza textos, frequente pequenos grupos que sejam realmente bíblicos, pregue nas ruas, leia as Escrituras. Viva de um modo que você possa, daqui a alguns anos, olhar para traz no tempo e dizer: para o mundo, eu joguei minha juventude fora; mas para Deus, eu estava mais vivo que qualquer outro.

Confie que Cristo te dará forças. Vou deixar apenas Deus falar neste ponto, Ele se expressa melhor que eu: “Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo” (Fp 1:6). “Que mediante a fé estais guardados na virtude de Deus para a salvação, já prestes para se revelar no último tempo, em que vós grandemente vos alegrais, ainda que agora importa, sendo necessário, que estejais por um pouco contristados com várias tentações, para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória, na revelação de Jesus Cristo" (I Pe 1:5-7). “Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai” (Jo 10:29). “Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar, e apresentar-vos irrepreensíveis, com alegria, perante a sua glória…” (Jd 24). “Por cuja causa padeço também isto, mas não me envergonho; porque eu sei em quem tenho crido, e estou certo de que é poderoso para guardar o meu depósito até àquele dia” (II Tm 1:12).

Case. Paulo disse que “… se não podem conter-se, casem-se. Porque é melhor casar do que abrasar-se [ou arder em desejo]" (1 Co 7:9). Planeje-se para seu casamento. Abra mão de um mestrado para poder casar logo. Transfira seu curso para a noite para poder trabalhar durante o dia. Você conhece sua rotina e seus planos, analise-os com cuidado e se planeje, junto com sua namorada, para casar. Hoje em dia, criamos um milhão de dificuldades para adiar o casamento. Claro que é um passo importantíssimo na nossa vida, mas acabamos procrastinando demasiadamente o matrimônio. Eu, por exemplo, só pretendo fazer meu mestrado depois de algum tempo de casado e se eu conseguir bolsa pra tal, com isso, posso casar-me alguns anos mais cedo. Olhe para sua vida, converse com sua namorada e vejam o que pode ser feito. Claro, ore bastante sobre tudo. “O coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa dos lábios vem do SENHOR” (Pv 16:1).

Fora essas dicas bíblicas, eu possuo algumas dicas práticas que funcionaram comigo e com outros irmãos. Todas elas foram vividas por mim e, graças a Deus, funcionaram. Aconselhei sobre isso para alguns amigos e funcionou com eles também. Oro a Deus que funcione com você:

Abra mão do beijo. Simplesmente não beije. Parece duro, mas depois de um tempo você vai ver como é abençoador. O beijo não é pecado, mas pode levar ao pecado, como quase tudo na vida. Como você está fraco, é bom cortar de vez o beijo. Eu e minha namorada não conseguimos instantaneamente, logo, começamos a namorar apenas por telefone (o que foi complicado para nós, já que somos vizinhos). Isso, além de livrar de pecados, vai ajudá-los e tornar a união de vocês mais forte.

Tenha casais amigos. Nada melhor do que possuir amigos que também namoram ou são casados. Cristãos, preferencialmente. Vocês poderão sempre sair juntos para algum restaurante ou para o cinema, etc. Eu e minha namorada temos dois casais de amigos cristãos e é ótimo sairmos juntos. E o melhor, você não precisa abrir mão de momentos românticos por estar em grupo. Os casais só precisam se separar um pouco para ter um momento de intimidade. Mas lembre, no começo, é bom maneirar em ficar sozinho com a namorada.

Orem juntos. Disciplina de oração é ótimo para a vida cristã e para o seu relacionamento. Encontrem grupos de oração ou irmãos dispostos a orar com vocês. Cuidado: nada de ficarem sozinhos para orar, o pecado está a porta! Sempre orem em comunhão com outros crentes.

Conversem sobre coisas do alto. Namorados precisam conversar, claro. Mas muitas vezes as conversas são fúteis e tolas. Adquiriam a rotina de ler sempre as Escrituras, bons livros e ver boas pregações. Não só isso, mas conversem sobre o que aprenderam. O pecado perderá força contra vocês naturalmente, pois estarão sendo santificados pela Palavra de Deus em seus corações.

Claro, tudo isso é uma luta. Uma verdadeira guerra. Não é nada fácil. Às vezes, na guerra contra o pecado, precisamos resistir ao extremo de derramar o próprio sangue (Hb 12:4). Se nada funcionar, e que Deus repreenda isso, esteja disposto a arrancar olhos, mãos e pernas (Mt 5:29). Se preciso for, acabe com seu namoro. É melhor entrar solteiro no céu do que casado no inferno. Essa não é a escolha primária. Lute contra seu pecado. Mas se nada, mesmo com toda a luta do mundo, funcionar, medidas drásticas precisam ser tomadas.
Para finalizar, lembre-se: sentir-se sujo, nojento, pecador e depravado por conta de nosso pecado, até certo ponto, é algo bom, pois revela nossa tristeza com nossos erros e evidencia nossa regeneração. Você provavelmente é salvo se pode dizer: “O pecado é meu fardo, não meu prazer; minha miséria, não meu deleite”. Agora, isso não deve nos parar e roubar nossa alegria em Cristo. Davi, quando pecou sexualmente, escreveu um salmo a Deus e disse o seguinte: “Torna a dar-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário” (Sl 51:12). Ore para que você alegre-se novamente diante da obra de Cristo por um depravado como você. Quão maus nos somos, e quão bom Cristo é!

Você está, desde já, em minhas orações. Clamo a Deus que Ele te dê forças assim como Ele tem me dado. Depois de quase dois anos praticamente só de fracasso, Deus me deu forças para lutar. Saiba: na força de Deus, é possível vencer qualquer pecado. Cristo já os derrotou na cruz, nossa vitória é certa, n’Ele venceremos.

terça-feira, 24 de março de 2015

Dia Internacional para o Direito à Verdade para as Vítimas de Graves Violações dos Direitos Humanos


24 de março é lembrado como o Dia Internacional para o Direito à Verdade para as Vítimas de Graves Violações dos Direitos Humanos. Em Salmos 26.3, Davi escreveu: “Pois o teu amor está sempre diante de mim, e continuamente sigo a tua verdade.” Em mais de 60 países, aqueles que tomam a decisão de seguir a Jesus são perseguidos e têm os seus direitos violados. Apesar disso, a esperança dos cristãos é seguir a verdade e permanecer no amor do Senhor.


FONTE: Página fb - PORTAS ABERTAS

RESTORE BRASIL EM MARÇO 2015: ZIEL MACHADO


Projeto de Extensão UNIRIO: LER & COMPARTILHAR - práticas de formação solidária


quarta-feira, 18 de março de 2015

I Seminário Antônio Gramsci: Estado, Sociedade Civil e Políticas Educacionais

Continuando na ideia de apreender para discorrer e rebater:

Este Seminário é uma iniciativa do Grupo Interinstitucional de Estudos Estado, Poder e Educação (GIEPE) que reúne professores e alunos de diferentes instituições e movimentos sociais para debater a obra do socialista italiano Antônio Gramsci. O GIEPE, através do I Seminário Antônio Gramsci: Estado, Sociedade Civil e Políticas Educacionais, tem o objetivo de socializar os estudos realizados e aproximar intelectuais fundamentais para o desenvolvimento da teoria marxista no Brasil.

Palestrantes:
Roberto Leher (Educação/UFRJ)
Sonia Mendonça (História/UFF)
Virgínia Fontes (História/UFF)

O evento poderá ser assistido na íntegra pelo endereço:
http://webconf2.rnp.br/uab_unirio/?launcher=false 
 
24 de março de 2015, às 18h .
UNIRIO, 
Prédio da Nutrição 
Auditório Vera Janacopulos
Av. Pasteur, 296, Urca.

terça-feira, 17 de março de 2015

Recebi um Aluno Autista. E Agora?


Arminianismo: Introdução à História e Teologia - 23 e 30 de maio, 2015


Tenho em mim bem claro o que se passa com minha relação entre fé cristã e racionalidade, por isso mesmo "escolhi" o calvinismo como sistema que melhor representa o evangelho por mim abraçado.

Ainda assim, sei que é sempre bom entender melhor o outro lado do debate; uma vez que o que podemos fazer enquanto filhos de Adão adotados por Deus é apenas inferir do que vemos revelado nas Escrituras sobre qual melhor interpretação para determinadas passagens, algumas conversas podem demorar-se demais se não estivermos aptos e capacitados na visão de mundo do nosso próximo, me recuso a usar o termo antropológico "outro"(!).

Por isso recomendo a participação neste curso que se propõe trazer ao conhecimento "a existência de uma alternativa ou interpretação teológica diferente das correntes reformadas que se tornaram hegemônicas no cenário europeu, as quais se consolidaram após o século XVII."

"Essa alternativa se baseia no conhecimento da verdadeira Teologia Arminiana, e do seu posterior desenvolvimento com a intervenção de John Wesley. O curso visa também desfazer os principais mal entendidos e grosseiras interpretações atribuídas ao Arminianismo através dos seus rivais teológicos."

"Para tanto, está dividido em três partes: uma introdução histórica do surgimento da teologia arminiana, seu desenvolvimento teológico através de Armínio e seus discípulos (arminianismo clássico) e sua continuação e modificação através das ideias de John Wesley (armínio-wesleyanismo)."

Local: Auditório do Hotel Mont Blanc - Av. Dr. Mário Guimarães, n° 533, Centro, Nova Iguaçu, RJ.

Data: 23 e 30 de maio - 09h-17h.
Valor: 90,00. Podendo ser dividido em duas vezes.

Inscrições: através do e_mail cursos@projetoraizes.teo.br

Ao final do curso, os participantes receberão o certificado de conclusão com a carga horário de 16h.





quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Ação Social e Estratégia de Evangelização


A ação social da Igreja não pode ser uma estratégia de evangelização. Um dos objetivos da Igreja no mundo é também a sua ação nesse mundo. Ora se a ação da Igreja na sociedade é um dos seus objetivos, esta não pode ser uma estratégia, pois estratégia é aquilo que fazemos para alcançar o objetivo.

O problema da ação social como apenas uma estratégia é que ela se acaba a partir do momento que houve a evangelização. Assim, se todos estão “evangelizados” não há mais necessidade da ação social. Dessa forma, reduz-se a missão da igreja para angariar novos membros, e não espalhar e promover os valores do Reino de Deus.

- Alexandre Milhoranza

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Universitário se recusa a fazer trabalho sobre Marx


Um estudante universitário de Santa Catarina se recusou a fazer um trabalho sobre o cientista político e economista alemão Karl Marx e resolveu escrever uma carta ao professor do curso de Relações Internacionais e divulgar o conteúdo na internet. A carta, segundo João Victor Gasparino da Silva, de 22 anos, foi uma forma de protestar. “Queria uma universidade com o mesmo espaço para todas as ideias e ideologias, sem proselitismo, sem doutrinação”, explicou. A Universidade do Vale do Itajaí (Univali), na qual o jovem estuda, disse que não vai se pronunciar sobre o assunto. Segundo João Victor, que estuda Relações Internacionais, o pedido do professor foi para que os estudantes respondessem três questões sobre a teoria de Marx. Ele contou que chegou a pensar em responder de forma neutra, mas mudou de ideia. “Algo me segurava, nem cheguei a considerar dar a minha opinião no trabalho. Até que veio a ideia da carta”, disse.

Conforme o estudante, o protesto não foi contra o professor, mas foi uma forma de demonstrar descontentamento em relação à academia. “Faz tempo que estou indignado com o que vem acontecendo em nosso país. Os meios acadêmicos e culturais cada vez mais fechados, os intelectuais de direita cada vez mais lançados ao ostracismo. Resolvi ser a voz de brasileiros que não encontravam espaço para se manifestar, seja por falta de meios, seja pelo próprio medo”, disse.

Ao escrever a carta, o estudante disse que já sabia que iria divulgar na internet, não seria apenas destinada ao professor da disciplina. “Uma amiga blogueira do Maranhão sugeriu divulgar na internet, ela se encarregou disso. Se nosso país realmente tivesse um meio acadêmico e cultural ideologicamente equilibrado, não seria tão necessária esta carta”, argumentou. Confira abaixo a íntegra da carta:



Caro professor,

Como o senhor deve saber, eu repudio o filósofo Karl Marx e tudo o que ele representa e representou na história da humanidade, sendo um profundo exercício de resistência estomacal falar ou ouvir sobre ele por mais de meia hora. Aproveito através deste trabalho, não para seguir as questões que o senhor estipulou para a turma, mas para expor de forma livre minha crítica ao marxismo, e suas ramificações e influências mundo afora. Quero começar falando sobre a pressão psicológica que é, para uma pessoa defensora dos ideais liberais e democráticos, ter que falar sobre o teórico em questão de uma forma imparcial, sem fazer justiça com as próprias palavras.

Me é uma pressão terrível escrever sobre Marx e sua ideologia nefasta, enquanto em nosso país o marxismo cultural, de Antonio Gramsci, encontra seu estágio mais avançado no mundo ocidental, vendo a cada dia um governo comunista e autoritário rasgar a Constituição e destruir a democracia, sendo que foram estes os meios que chegaram ao poder, e até hoje se declararem como defensores supremos dos mesmos ideais, no Brasil. Outros reflexos disso, a criminalidade descontrolada, a epidemia das drogas cujo consumo só cresce (são aliados das FARCs), a crise de valores morais, destruição do belo como alicerce da arte (funk e outras coisas), desrespeito aos mais velhos, etc. Tudo isso sintomas da revolução gramscista em curso no Brasil. A revolução leninista está para o estupro, assim como a gramscista está para a sedução, ou seja, se no passado o comunismo chegou ao poder através de uma revolução armada, hoje ele buscar chegar por dentro da sociedade, moldando os cidadãos para pensarem como socialistas, e assim tomar o poder. Fazem isso através da educação, o velho e “bom” Paulo Freire, que chamam de “educação libertadora” ou “pedagogia do oprimido”, aplicando ao ensino, desde o infantil, a questão da luta de classes, sendo assim os brasileiros sofrem lavagem cerebral marxista desde os primeiros anos de vida. Em nosso país, os meios culturais, acadêmicos, midiáticos e artísticos são monopolizados pela esquerda há meio século, na universidade é quase uma luta pela sobrevivência ser de direita.

Agora gostaria de falar sobre as consequências físicas da ideologia marxista no mundo, as nações que sofreram sob regimes comunistas, todos eles genocidas, que apenas trouxeram miséria e morte para os seus povos. O professor já sabe do ocorrido em países como URSS, China, Coreia do Norte, Romênia e Cuba, dentre outros, mas gostaria de falar sobre um caso específico, o Camboja, que tive o prazer de visitar em 2010. Essa pequena nação do Sudeste Asiático talvez tenha testemunhado o maior terror que os psicopatas comunistas já foram capazes de infligir sobre a humanidade, primeiro esvaziaram os centros urbanos e transferiram toda a população para as zonas rurais. As estatísticas apontam para uma porcentagem de entre 21% a 25% da população morta por fome, doenças, cansaço, maus-tratos, desidratação e assassinadas compulsoriamente em campos de concentração no interior. Crianças também não escaparam, separadas dos pais, foram treinadas para serem “vigias da Revolução”, denunciando os próprios familiares, quando estes cometiam “crimes contra a Revolução”. Quais eram os crimes? Desde roubar uma saca de arroz para não morrer de fome, ou um pouco de água potável, até o fato de ser alfabetizado, ou usar óculos, suposto sinal de uma instrução elevada. Os castigos e formas de extermínio, mais uma vez preciso de uma resistência estomacal, incluíam lançar bebês recém-nascidos para o alto, e apanhá-los no ar, utilizando a baioneta do rifle, sim, isso mesmo, a baioneta contra um recém-nascido indefeso.

Bem, com isto, acho que meu manifesto é suficiente para expor meu repúdio ao simples citar de Marx e tudo o que ele representa. Diante de um mundo, e particularmente o Brasil, em que comunistas são ovacionados como os verdadeiros defensores dos pobres e da liberdade, me sinto obrigado a me manifestar dessa maneira, pois ele está aí ainda, assombrando este mundo sofrido.

Para concluir gostaria de citar o decálogo de Lênin:

01. Corrompa a juventude e dê-lhe liberdade sexual.

02. Infiltre e depois controle todos os veículos de comunicação em massa.

03. Divida a população em grupos antagônicos, incitando-os a discussões sobre assuntos sociais.

04. Destrua a confiança do povo em seus líderes.

05. Fale sempre sobre Democracia e em Estado de Direito, mas, tão logo haja oportunidade, assuma o poder sem nenhum escrúpulo.

06. Colabore para o esbanjamento do dinheiro público; coloque em descrédito a imagem do País, especialmente no Exterior, e provoque o pânico e o desassossego na população.

07. Promova greves, mesmo ilegais, nas indústrias vitais do País.

08. Promova distúrbios e contribua para que as autoridades constituídas não os coíbam.

09. Contribua para a derrocada dos valores morais, da honestidade e da crença nas promessas dos governantes, nossos parlamentares infiltrados nos partidos democráticos devem acusar os não comunistas, obrigando-os, sem pena de expô-los ao ridículo, a votar somente no que for de interesse da causa.

10. Procure catalogar todos aqueles que possuam armas de fogo, para que elas sejam confiscadas no momento oportuno, tornando impossível qualquer resistência à causa.

Obrigado, caro professor, pela compreensão.



Ass.: João Victor Gasparino da Silva
(G1 Notícias)

Nota: O que João sentiu em relação a Marx vários outros alunos sentem com respeito a Darwin e ao darwinismo. A teoria da evolução é apresentada nas escolas e universidades como verdade científica, sem que sejam discutidas suas insuficiências epistêmicas. Frequentemente, quando algum aluno apresenta suas discordâncias do modelo, é ridicularizado e rotulado de “fundamentalista” e/ou “criacionista de mente estreita”. Quase ninguém sequer se detém a ouvir os argumentos desses “descrentes de Darwin”. A intolerância tem muitas faces. [MB]



segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

10 Maneiras de Afastar seu Filho de Deus e da Igreja

 
01: Diante das menores dificuldades, tais como indisposição, chuva, frio, cansaço, não vá aos cultos. Com isso, seu filho vai crescer com a ideia de que frequentar as reuniões não é assim tão necessário.

02: Quando estiver à mesa ou em reuniões de família, faça comentários ou críticas ao ensino do pastor ou dos líderes. Com isso, seu filho crescerá não tendo respeito por eles, nem dando créditos aos seus ensinos.

03: Cuide para que seu filho cresça em um lar que não seja diferente de qualquer outro não cristão. Afinal, que valor há em aplicar princípios da Palavra de Deus a todos os aspectos da vida familiar?

04: Gaste diante da TV e na internet todo seu tempo que passa em casa ao invés de separar parte dele para a leitura da Bíblia, devoções em família e oração. Basta apenas orar na hora das refeições. Com certeza, seu filho aprenderá que estudar a Palavra de Deus não tem tanto valor para você.

05: Fale mal da vida dos outros irmãos em Cristo; depois, ao encontrá-los na igreja, cumprimente-os com um largo sorriso. Com isso, seu filho terá a impressão de que a vida cristã é pura hipocrisia, e não desejará o mesmo caminho.

06: Nunca fale ou ressalte pontos importantes das leituras bíblicas e da mensagem do pastor com seus filhos e amigos. Assim seus filhos perceberão que a Bíblia e a mensagem de Jesus devem ser ouvidas, mas só na igreja.

07: Tire férias do trabalho e viaje sem se importar com a possibilidade de participar de cultos durante a viagem ou ler a Bíblia. Assim seus filhos entenderão que diversão, férias, descanso e Deus não combinam.

08: Quando as visitas chegarem, leve-as ao parque, ao centro da cidade, ao cinema, ao shopping, mão não as leve aos cultos. Assim seus filhos compreenderão que a igreja não é o lugar para levar amigos.

09: Quando for ofertar, nunca comente com seus filhos que isso é um ato de gratidão em resposta ao amor e a ação de Deus em sua vida; que esse valor serve também para manter o trabalho da Igreja. Assim eles entenderão que até Deus “cobra taxa” pelos serviços religiosos.

10: Quando você tiver algum desentendimento com familiares ou vizinhos, nunca busque na Bíblia ou no aconselhamento cristão a solução do problema. Jamais diga: “preciso perdoar esta ou aquela pessoa, pois Jesus me perdoou primeiro para eu também poder perdoar os outros”. Assim seus filhos entenderão, com muita facilidade, que Jesus não tem experiência nem orientação para lidar com pessoas difíceis.


LEMBRE-SE:Eduque a criança no caminho em que deve andar, e até o fim da vida não se desviará dele” (Pv 22.6). E não esqueça de que Jesus Cristo sabe que você precisará do seu amor, do seu perdão e da sua orientação para cuidar destes presentes (seus filhos) que Deus lhe deu.


Adaptação Pastor Carlos Kracke
Publicada por Tia Help